Busca

Cuidar bem da alimentação do trabalhador onde quer ele esteja.


Notícias

  • 04 jul 2014

    Trabalhadores valorizados são mais leais com as empresas onde atuam

    Florianópolis, 25.06.2014 - Trabalhadores que se sentem valorizados por seus empregadores desenvolvem alto nível de lealdade com a empresa, defendeu um dos maiores especialistas norte-americanos em bem-estar e vida saudável no ambiente de trabalho, Steven Aldana. O estudioso abriu o circuito de palestras na Jornada Inovação e Competitividade da Indústria Catarinense, promovido pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC). O encontro reúne empresários, representantes de sindicatos de indústria, autoridades e especialistas para debater os temas qualidade de vida, educação, inovação, tecnologia e ambiente institucional.

    Segundo Aldana, colaboradores leais gostam de estar no ambiente de trabalho e, por isso, fazem o que for preciso a favor da empresa onde atuam. Por outro lado, para demonstrar o apreço, os empregadores devem apresentar a eles o resultado do trabalho desenvolvido e investir na saúde dos colaboradores. "Empregadores que investem em saúde demostram que se importam com a vida dos trabalhadores. Essa é a principal mudança para melhorar a produtividade dentro da indústria", finalizou. Aldana é autor de sete livros sobre gerenciamento de risco à saúde, vida saudável, e programas de promoção da saúde. As publicações já venderam mais de um milhão de cópias e são usadas por 4,5 mil empresas e corporações.

    Na abertura do encontro, o presidente da Federação, Glauco José Côrte, destacou a importância de se discutir qualidade de vida no meio industrial. "Trabalhadores saudáveis e com mais vitalidade vivem melhor, promovem melhor condição de vida para suas famílias e são mais produtivos", disse Côrte, enfatizando que Santa Catarina ainda precisa melhorar as condições de saúde dos trabalhadores.

    Em seguida, Gustavo Nicolai, gerente de saúde e medicina ocupacional da Mendes Júnior Trading e Engenharia, falou sobre gestão de economia para ambientes seguros e saudáveis. Ele destacou que depois da folha de pagamento, gastos com assistência em saúde são as maiores despesas das empresas. "Saúde e segurança é investimento, não um gasto. O gasto de não se investir em saúde e segurança é mensurável e imediato. Um ambiente de trabalho saudável se reflete em produtividade, sustentabilidade e competitividade para as empresas", enfatizou. Para Nicolai, o Brasil avança continuamente na área, mas, se comparado a países mais desenvolvidos, ainda está dando os primeiros passos.

    Para concluir a rodada de palestras da manhã, o gerente de qualidade de vida do Departamento Nacional do SESI, Sérgio Motta, debateu inovação em qualidade de vida. "Quando se pensa em inovação se faz logo a conexão com a tecnologia e processo produtivo, mas é importante pensar na inovação voltada para a qualidade de vida do trabalhador como ergonomia, prevenção de acidentes e envelhecimento do trabalhador. São fatores humanos que impactam na produtividade e na competitividade", concluiu.

    A terceira edição da Jornada Inovação e Competitividade da Indústria Catarinense segue até esta sexta-feira (27). Os próximos temas a serem abordados serão educação, tecnologia e inovação, e ambiente para negócios. Para encerrar o evento, na sexta-feira, 27, ocorre a entrega da Ordem do Mérito Industrial e Mérito Sindical. A Jornada tem o apoio do BRDE, CrediFIESC, Previsc, Tractebel, SESI e SENAI Nacional.

    Envie por e-mail

Total time: 57.38 ms (SQL time: 0.00 ms, overhead time: 39.58 ms), SQL(s): 10 (install mode)
INVALID HTML
CFP_HTMLTOOLS: /head came when /link was expected
CFP_HTMLTOOLS: End of file reached while waiting 2 end tags:Array ( [0] => html [1] => head )